Total de visualizações de página

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Das antigas

Não me sinto mais só
Antônio preenche o medo
meu tormento de ser sozinha

Ainda perdida,
melhor desiludida
Amadurecida

Vou calar-me
exigir o que é impossível
Pra quê?

Violações, desrespeito
eis o casamento
Censura, omissão

Você máquina de escrever
será minha válvula de escape
sem entorpecentes

Lúcida, sigo
Nova, transposta
a uma vida
de meu ventre
nasce a salavação!

06/06/06

Um comentário:

Pollyana disse...

nasce A SALVAÇÃO!